Pedro Tropa
Santarém, Portugal, 1973. Vive e trabalha em Lisboa, Portugal.

Os trabalhos de Pedro Tropa falam sobretudo de paisagem e estão intimamente ligados à vivência da montanha. A sua origem são experiências em altitude, que incluem os exercícios de caminhada, de escalada, de confronto com a dureza do terreno e com a rarefacção do ar, em lugares como os Himalaias, os Alpes, os Galayos ou o Monte Rosa. 

Tendo começado o seu percurso, no início dos anos noventa, a criar filmes em vídeo, o artista foi-se concentrando, ao longo do tempo, na fotografia. Mais recentemente, surge também o desenho. A fotografia e o desenho são os meios que têm participado nas suas viagens, e que surgem da necessidade de fixar momentos: um vislumbre de algo entre o nevoeiro e uma alteração meteorológica. 

Dois tempos coexistem no processo de trabalho de Pedro Tropa. Primeiro, o momento da vivência da montanha, que o artista percebe como uma preparação para o desenho e a fotografia. E o momento do desenho, já no atelier, um processo onde intervém a memória. 

Exposições e Projectos (selecção)
2019
Invasor Abstracto, um projecto osso colectivo, Convento São Francisco, Coimbra, Portugal.
Geometria Sónica - 3º ciclo, Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas, Ribeira Grande, Açores, Portugal.
2016
Edição Especial, CAVE Atelier, Lisboa, Portugal.
Inquéritos ao Território. Paisagem e Povoamento, Museu Nacional de Etnologia, Lisboa, Portugal.
Paraíso, Galeria IPT, Centro de Arte e Imagem, Tomar, Portugal.
2015
Do we dream every night?, Appleton Square, Lisboa, Portugal.
Os Inquéritos [à fotografia e ao território] - Paisagem e Povoamento, Plataforma das Artes e da Criatividade, Guimarães, Portugal.
2014
João Botelho: Só acredito num Deus que saiba dançar, Plataforma das Artes e Criatividade \ Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Portugal.
Singbarer Echo, Galeria Quadrado Azul, Lisboa, Portugal.
2013
Figure of Collapse, Parkour, Lisboa, Portugal.
2012
formas e forças, Galeria Quadrado Azul, Porto, Portugal.
Movente e Dormente, Appleton Square, Lisboa, Portugal.
Obras do ARCO, Galeria Quadrado Azul, Porto, Portugal.
2011
Hou Negro, Galeria Quadrado Azul, Lisboa, Portugal.
2009
Travessia. Evidência. O Monte Rosa, Galeria Quadrado Azul, Porto, Portugal.
Cahier de Cent Dessins, Galeria Quadrado Azul, Lisboa, Portugal.
2008
Pela boca do Noitibó, Sala da Rua Rosa Araújo 19, Lisboa, Portugal .
Avenida 211, Avenida da Liberdade 211, Lisboa, Portugal.
2007
Mnemósina, Convocação (Modo Maior e Modo Menor) - Obras de Fernando Calhau na Colecção da Fundação Calouste Gulbenkian, Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, Lisboa, Portugal (com Tomás Maia).
Desenhos e Fotografias, Livraria Assírio & Alvim, Lisboa, Portugal.
2006
O Veado, Museu Nacional de História Natural, Lisboa, Portugal (com Teresa Santos).
Colecções
Ar.Co, Portugal.
Fotografia, 2012. Impressão brometo de prata sobre papel baritado 
Fotografia, 2012. Impressão brometo de prata sobre papel baritado 
Fotografia, 2012. Impressão brometo de prata sobre papel baritado 
Fotografia, 2012. Impressão brometo de prata sobre papel baritado 
Fotografia, 2012. Impressão brometo de prata sobre papel baritado 
Fotografia, 2012. Impressão brometo de prata sobre papel baritado 
Fotografia, 2012. Impressão brometo de prata sobre papel baritado 
Fotografia, 2012. Impressão brometo de prata sobre papel baritado 
Desenho, 2012. Lápis de cor sobre papel 
Desenho, 2012. Lápis de cor sobre papel 
Desenho, 2012. Lápis de cor sobre papel 
Desenho, 2012. Lápis de cor sobre papel 
Desenho, 2012. Lápis de cor sobre papel 
Desenho, 2012. Lápis de cor sobre papel 
Desenho, 2012. Lápis de cor sobre papel 
Desenho, 2012. Lápis de cor sobre papel 
Desenho, 2012. Lápis de cor sobre papel