Isabel  Carvalho
Porto, Portugal, 1977. Vive e trabalha no Porto.

Isabel Carvalho é uma das artistas saídas da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto que, nos últimos dez anos, tem desempenhado um papel de destaque na actividade artística da cidade, sobretudo num circuito alternativo de criação e de exposição dinamizado pelos próprios artistas. Integrou experiências de trabalho colaborativo como o Grupo ZOiNA, a Caldeira 213 e os Ateliers Mentol. Actualmente, é responsável pelo Navio Vazio, um espaço cuja programação incide no livro e na edição enquanto veículo de criação artística. 

A edição é uma das áreas a que se dedicou recentemente, estando a sua prática ligada sobretudo ao desenho, à pintura, à performance, à escrita e à banda desenhada, um conjunto de estratégias que tornam possível a expressão de conteúdos de ordem política e social. A arte sempre foi para a artista um meio de discutir problemáticas relacionadas quer com a própria prática artística e as ligações que esta mantém com a economia e a política, quer com noções de identidade, feminismo e sexualidade. 

Actualmente, é Artista em Residência no Künstlerhaus Bethanien, em Berlim.

Exposições Individuais (selecção)
2013
Os cantores dos planaltos fundem linguagens, Künstlerhaus Bethanien, Berlim, Alemanha.
2012
Orla, Galeria Quadrado Azul, Porto, Portugal.
2010
Desmontagem e venda de uma biblioteca privada, Navio Vazio, Porto, Portugal.
2008
Biting the hand that feeds you, Galeria Quadrado Azul, Lisboa, Portugal.
Trap, Mad Women in the Attic, Porto, Portugal.
Girls are dreaming about enormous machines, Galeria NovaOgiva, Óbidos, Portugal.
Festival sincero II, Espaço Gesto, Porto, Portugal.
2007
A casa é sincera – residência artística comunitária / troca de talentos, Laboratório das artes, Guimarães, Portugal.
Exposição / Residência Artística, Hangar, Barcelona, Espanha.
2006
Estação Arqueológica, Museu Martins Sarmento, Galeria SMS, Guimarães, Portugal.
Yes, I’m ; No I’m not, Galeria Quadrado Azul, Porto, Portugal.
Wanda, Sala de espera, Guimarães, Portugal.
Wanda, Banda, Projecto Apêndice, Centro Comercial Cedofeita, Porto, Portugal.
Exposições Colectivas (selecção)
2013
FIGUR, Kantine Aqua Carre, Berlim, Alemanha.
Disruptive Patterns. Plots, Plans and Movements. (Prelude), Altes Finanzamt, Berlim, Alemanha.
Colecção de Serralves, "Colecção Ana Jotta" e convidados, Edifício AXA, Porto, Portugal.
2012
O princípio da Inércia, Pavilhão Branco, Museu da Cidade, Lisboa, Portugal.
2011
Tinta nos nervos, Museu Colecção Berardo, Lisboa, Portugal.
Que sais je?, Agência Vera Cortês, Lisboa, Portugal.
2010
male, Femlink: The international video collage, Canada.
El mal d’escriptura. Un projecte sobre text i imaginació especulativa, MACBA, Barcelona, Espanha.
El mal d’escriptura. Un projecte sobre text i imaginació especulativa, Artissima, Turim, Itália.
Portugal Arte, Bienal de Lisboa, Pavilhão de Portugal, Lisboa, Portugal.
202020, Plano B, Porto, Portugal.
Combate Ilustrado, Museu Colecção Berardo, Lisboa, Portugal.
A sombra de um cabelo, Navio Vazio, Porto, Portugal.
CGEM: Notes about Emancipation, MUSAC, Léon, Espanha.
Troca-te por arte, Novalma, Porto, Portugal.
Os lábios inclinados para a mão os desenhar, Navio Vazio, Porto, Portugal.
2009
Arte Urbana, Fundação AMI – Assistência Médica Internacional, Porto, Portugal.
Unknown Parameter Value, Projecto Antena, Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto/ Câmara Municipal do Seixal, Seixal, Portugal.
Time is a book, Time Festival, Ghent, Bélgica.
Emissores reunidos, Antiga RDP/ Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto, Portugal.
Regime de meia pensão, Café Guarani, Porto, Portugal.
2008
Part-ilha, Spike island, Bristol, Reino Unido.
2007
Estereótipos, ESAD, Caldas da Rainha, Portugal.
Salão Erótico de Lisboa, FIL, Lisboa, Portugal.
Desêxpor, Centro Franco-Moçambicano, Moçambique.
Portugal Agora – À Propos des lieux d’origine, MUDAM, Luxemburgo.
Um sexto sentido, Galeria do Jornal de Notícias, Porto, Portugal.
Opções e futuros, Colecção PLMJ, Arte Contempo, Lisboa, Portugal.
Grande Prémio de Desenho, Senhorio, Porto, Portugal.
Anti-monumentos, Galeria António Henriques/ Teatro Viriato, Viseu, Portugal.
Arte Contemporânea – Projecto Fábrica, Laboratório das Artes, Guimarães, Portugal.
2006
All my independent women, Eira 33, Lisboa, Portugal.
Busca Pólos, Centro Cultural de Vila Flor, Guimarães, Portugal.
Busca Pólos, Pavilhão de Portugal, Coimbra, Portugal.
Encontro de Arte Jovem – Bienal de Arte – Chaves 2006, Chaves, Portugal.
Em torno, NEC – Núcleo de Experimentação Coreográfica, Porto, Portugal.
Festival Sincero, Há-aí-uma-certa-tendência, Porto, Portugal.
Paperback, MARCO, Vigo, Espanha.
fiav.06 – Festival of Artistic Video Images, Nîmes, França.
Projecto Teleférico – operação transbordo, Teleférico de Guimarães / Laboratório das Artes, Guimarães, Portugal.
Orelha, 2012. Vidro coalhado. 18 x 17 x 20 cm. Créditos da imagem: Filipe Braga 
Orla, 2012. Vidro trabalhado em processo artesanal em fábrica de vidros científicos na Marinha Grande sob bases de vidros (prateleiras) e suportes metálicos. Dimensões variaveis. Créditos da imagem: Filipe Braga 
Orla, 2012. Vidro trabalhado em processo artesanal em fábrica de vidros científicos na Marinha Grande sob bases de vidros (prateleiras) e suportes metálicos. Dimensões variaveis. Créditos da imagem: Filipe Braga 
Flow of air materially displayed as language II, 2013. Barro, pigmentos naturais e sintéticos recolhidos em Essaouira, arame de cobre e alumínio, fio de seda, verniz e “sombra” dos olhos. Dimensões variáveis. Créditos da imagem: David Brandt 
os cantores de planaltos fundem linguagens, 2013. Gravuras sobre placas de acrílico  
Flow of air materially displayed as language I, 2013. Barro, pigmentos naturais e sintéticos recolhidos em Essaouira. Dimensões variáveis. Créditos da imagem: David Brandt 
Flow of air materially displayed as language III, 2013. Barro, pigmentos naturais e sintéticos recolhidos de Essaouira. Créditos da imagem: David Brandt 
Configurações possíveis , 2014. Tubos em alumínio (diâmetro 1cm, comprimento aprox. 5 metros), LEDS brancos (em fita) OXRAM, filtro verde (Rosco supergel #389) e fio eléctrico branco. Créditos da imagem: João Messias 
Configurações possíveis , 2014. Tubos em alumínio (diâmetro 1cm, comprimento aprox. 5 metros), LEDS brancos (em fita) OXRAM, filtro verde (Rosco supergel #389) e fio eléctrico branco. Créditos da imagem: João Messias 
The Clash Of Time In A Casted Scent, 2015. Serrim de cerejeira, castanho e pinho, incenso em grão seco, ervas aromáticas secas, essência de incenso, carvão moído, goma arábica diluída, pigmento (anilina castanha e azul) , álcool sobre suportes. Créditos da imagem: João Messias 
The Clash Of Time In A Casted Scent, 2015. Gravura sobre placas de acrílico. Créditos da imagem: João Messias 
Que ruído é este? Cada um os ouvia falar na sua própria língua E ainda assim os entendíamos, 2016. Gravuras sobre placas de acrílico 
ESCULTURA ATIVADA, MANUSEAMENTO DE LINGUAGENS I — V. Ligaduras de cor, fio de algodão, Fio de bronze, argila preta, tinta da china. Créditos da imagem: Alvaro campo